Make your own free website on Tripod.com

                                                   



Como Deus poderia ser considerado perfeito, se Ele mesmo, um dia, deixasse de praticar uma das virtudes mais importantes, o perdão, condenando milhões de pessoas ao "inferno"?  


  

Análise lógica
Comentários
A resposta lógica da Reencarnação

 

Análise lógica   índice
 

1. Deus é perfeito?
 
    Resposta: Sim. A inteligência suprema, criadora de todas as coisas, tem que ser perfeita   
   Premissa 1: Deus é perfeito, portanto não tem falhas 

2. Deixar de perdoar é uma falha?
    Resposta: Sim. Pois deixar de praticar uma virtude não pode ser também uma virtude. Pelo menos para quem se diz cristão, não perdoar é uma falha muito grande
   Premissa 2: Deixar de perdoar é uma falha

Conclusão:
Se Deus não tem falhas, e deixar de perdoar é uma falha, então Deus jamais pode deixar de perdoar, sequer por um segundo, sequer uma pessoa. Se o fizer, não será mais perfeito. Portanto, a idéia de um "Dia do Juízo" torna-se ILÓGICA e IRRACIONAL.

OBS: Um argumento é considerado válido e consistente quando é impossível que as suas premissas sejam verdadeiras e a conclusão falsa.
Ver o tópico Noções básicas de lógica

Comentários   índice

A maioria das religiões cristãs prega que, após a morte, haverá um "Dia do Juízo" e Deus julgará as pessoas, de acordo com aquilo que fizeram quando estavam vivos. E então muitos serão "condenados" a uma pena eterna! 
Se isto ocorrer, então podemos afirmar que o Perdão de Deus NÃO É INFINITO, pois, em algum momento, ele deixará de existir. Sendo assim, se uma das virtudes de Deus, em qualquer momento vier a falhar, então Deus não poderia ser mais considerado perfeito!
Por outro lado, se consideramos Deus como um ser perfeito, ele tem que possuir todas as virtudes em grau infinito. Se qualquer uma de suas virtudes não for infinita, então Ele não é mais perfeito, tem um limite, como qualquer um de nós. 

Perguntamos ainda: Qual o pai que, por pior que tenha sido seu filho, não o perdoaria e lhe daria uma nova chance? Imagine um pai que, após o suposto "julgamento final" fosse para o "céu", mas tivesse um filho condenado ao suposto "inferno" ou a qualquer pena eterna. Será que esse pai seria feliz lá no "céu", sabendo que seu filho estaria sofrendo pela "eternidade"? Claro que não.
Por outro lado, como Deus ficaria indiferente ao amor deste pai? Então o amor do pai terreno seria maior do que o Amor do próprio Deus? Quantas contradições!!!

 



 A resposta lógica da Reencarnação   índice

Na Reencarnação, pode-se dizer que o perdão de Deus é verdadeiramente infinito, pois ele nos dá infinitas chances de repararmos nossos erros, através de inúmeras vidas. Na verdade, podemos dizer que Deus sequer precisa perdoar, pois, pois ele é tão perfeito que não se ofende com nossos erros. Para Ele, somos como crianças e temos muito o que aprender com nossos próprios erros. E aí é que está a diferença: Ele não nos condena pelos nossos erro, mas nos dá a chance de aprendermos com eles!


Acreditar na existência de uma só vida e em um Julgamento final é acreditar na existência de um Deus que se assemelha a um Juiz Inflexível, rancoroso, que pune sem amor e sem perdão.

 

 

Acreditar na Reencarnação é acreditar na existência de um Deus que se assemelha a um pai amoroso, que não exime o filho da responsabilidade de pagar pelos próprios erros, mas jamais lhe nega seu amor, nem seu perdão! Um Deus realmente perfeito, sem falhas!